top of page
  • amaralcristian

Blockchain e Criptomoedas: Um Guia para Iniciantes


Blockchain e criptomoedas: um guia para iniciantes

A relação entre blockchain e criptomoedas certamente figura entre as tecnologias mais revolucionárias surgidas nas últimas décadas.


Se você tem dúvidas sobre essa afirmação, pense nas transformações ocorridas na maneira como lidamos com dados e transações financeiras.


Segundo a definição da Investopedia, blockchain pode ser definido como uma base de dados distribuída entre os nós (nodes) de uma rede de computadores que se destaca por sua imutabilidade e segurança.


A tecnologia, inicialmente concebida para dar suporte ao Bitcoin, expandiu-se para uma variedade de aplicações em diferentes setores. A importância do universo blockchain vai além do âmbito das criptomoedas, abrangendo contratos inteligentes, tokens não fungíveis (NFTs), finanças descentralizadas (DeFi) e muitos outros formatos.



De acordo com análises de especialistas, a descentralização proporcionada pelo blockchain reduz a necessidade de intermediários, a exemplo dos auditores, o que resulta em maior eficiência e segurança aprimorada.


Ao longo deste artigo, vamos explorar não somente a intersecção entre blockchain e criptomoedas como também nos aprofundaremos na blockchain em si, explicando como ele funciona e trazendo casos de uso.


🤔 O que é blockchain?


Definição e estrutura básica


De acordo com o Mercado Bitcoin, blockchain é uma tecnologia de registro distribuído capaz de armazenar dados, sendo possível verificar informações de maneira simples e confiável, sem depender de terceiros.


Sua estrutura básica envolve a organização de informações em blocos, cada um contendo dados transacionais e um hash único do bloco anterior. Esse processo encadeado de blocos cria uma cadeia imutável de registros, conferindo uma camada adicional de segurança e integridade aos dados.


Mais sobre o seu funcionamento em seguida.


Segurança e imutabilidade


A segurança inerente ao blockchain é um dos seus pilares fundamentais. Uma vez que um bloco é adicionado à cadeia, sua informação não pode ser alterada sem modificar todos os blocos subsequentes.


Essa imutabilidade é garantida pelo processo de hashing e criptografia utilizado, os quais tornam a manipulação dos dados extremamente desafiadora. A descentralização da rede também contribui para a segurança, pois não há um único ponto de falha.


Essas características fazem do blockchain uma ferramenta confiável para registros permanentes e seguros em diversas áreas.


⚙️ Como funciona o blockchain?


Blockchain e criptomoedas: como funciona o blockchain

Estrutura de blocos e transações


Conforme citamos anteriormente, a funcionalidade do blockchain é fundamentada em sua estrutura de blocos e transações.


A Investopedia oferece uma explicação bastante didática sobre o seu funcionamento:


O blockchain coleta informações de transação e as insere em um bloco, como uma célula de uma planilha contendo informações. Depois de preenchido, as informações passam por um algoritmo de criptografia, que cria um número hexadecimal denominado hash. O hash é então inserido no cabeçalho do bloco seguinte e criptografado com as outras informações do bloco. Isso cria uma série de blocos encadeados.


Processo de transação e mineração


O processo de transação no blockchain envolve a verificação descentralizada, conhecida como mineração.


Conforme explicado pelo InfoMoney, quando uma transação é iniciada, ela é armazenada em um pool até que um minerador a escolha para inclusão em um bloco. Esse bloco, por sua vez, passa por um processo de prova de trabalho (Proof of Work - PoW), onde os mineradores competem para resolver cálculos complexos. O vencedor, que primeiro resolve o desafio, adiciona o bloco à cadeia e é recompensado com novas unidades da criptomoeda em questão.


Há também o método de consenso chamado Proof of Stake (PoS). Mais sobre ele a seguir.


Blockchain em Bitcoin vs. Ethereum


A implementação do blockchain varia entre diferentes criptomoedas, notavelmente nos exemplos Bitcoin e Ethereum.


No Bitcoin, o processo de mineração é competitivo, exigindo um grande poder computacional e energia (PoW). Em contrapartida, a Ethereum - que já foi PoW - transitou para um modelo de consenso chamado Proof of Stake (PoS), no qual a validação das transações e a formação de novos blocos estão diretamente ligadas à quantidade de criptomoeda que um minerador possui e está disposto a "bloquear" como garantia.


Mineradores com mais criptomoedas têm maior probabilidade de serem selecionados para validar transações. Em comparação, o PoS destaca-se por sua eficiência energética, uma vez que não implica em competição de poder de processamento.


🔗 🪙 Relação entre blockchain e criptomoedas


Bitcoin e blockchain


É importante compreender a intrínseca relação entre o Bitcoin e o blockchain.


O Bitcoin foi a primeira criptomoeda a adotar a tecnologia blockchain, utilizando-a como um livro-razão distribuído e imutável para registrar todas as transações.


A segurança e a descentralização proporcionadas pelo blockchain são elementos essenciais para o funcionamento e a confiança na moeda digital pioneira.



Criptoativos além do Bitcoin


O universo das criptomoedas expandiu-se significativamente desde a criação do Bitcoin. Atualmente, existem centenas de criptoativos, cada um com características e propósitos distintos.


A Ethereum, por exemplo, utiliza a tecnologia blockchain para possibilitar contratos inteligentes (smart contracts), que ampliam as funcionalidades além das transações financeiras.


Desta forma, a diversidade de criptoativos reflete a capacidade do blockchain de suportar uma variedade de aplicações.


Impacto nas finanças tradicionais


O crescimento das criptomoedas tem impactado as finanças tradicionais de diversas maneiras. A ascensão do Bitcoin como uma forma de reserva de valor alternativa levou a uma reavaliação das estratégias de investimento.


Além disso, a introdução de finanças descentralizadas (Decentralized Finance - DeFi) baseadas em blockchain, ao permitir transações e empréstimos sem a necessidade de intermediários, vem desafiando o modelo tradicional de serviços financeiros.


Ao analisar a interconexão entre criptomoedas e o universo financeiro tradicional, fica evidente não só a influência do blockchain na evolução desses ativos digitais, mas também o seu papel transformador no cenário econômico global.


✅ Descentralização e transparência no blockchain


Blockchain e criptomoedas: descentralização e transparência

Distribuição de dados e nodes


Segundo a Investopedia, a característica fundamental do blockchain é a descentralização. A distribuição de dados entre vários nodes (nós) em uma rede de blockchain elimina a necessidade de uma autoridade central. Cada node contém uma cópia completa do registro, garantindo que qualquer tentativa de alteração seja impedida, pois a maioria dos nodes deve validar e concordar com as mudanças.


Transparência nas transações


Em redes públicas de blockchain, como a do Bitcoin e de boa parte das criptomoedas, todas as transações são visíveis a qualquer pessoa com acesso à rede. Isso proporciona uma visão completa e acessível de todas as atividades, promovendo a confiança no sistema. A imutabilidade dos registros e a visibilidade generalizada reduzem a probabilidade de atividades fraudulentas.


Segurança e rastreabilidade


Em casos de hacks em corretoras de criptomoedas (exchanges), embora os hackers possam permanecer anônimos, as transações e movimentos dos fundos são registrados no blockchain. Isso possibilita a rastreabilidade dos ativos roubados, o que contribui para a segurança e responsabilização dentro do ecossistema.


🎯 Exemplos de blockchain na prática


Citamos anteriormente que o blockchain transcende seu papel nas criptomoedas. Agora vamos trazer alguns exemplos.


Indústria alimentícia


Uma forma de explicar a adoção do blockchain pela indústria alimentícia é o projeto Food Trust da IBM. Nesse contexto, a tecnologia é empregada para rastrear a jornada dos produtos desde sua origem até o consumidor final. Isso não apenas agiliza a identificação de origens em casos de contaminação, mas também permite um controle mais eficaz de qualidade e segurança alimentar.


Setor bancário e financeiro


O setor bancário tem explorado ativamente o potencial do blockchain. A tecnologia oferece a oportunidade de otimizar transações, reduzindo significativamente os tempos de liquidação. Além disso, ao possibilitar transações seguras e descentralizadas, o blockchain revoluciona os serviços financeiros ao eliminar intermediários e reduzir custos operacionais.


Aplicações na saúde


O blockchain está sendo utilizado para armazenar registros médicos de forma segura e acessível. Pacientes podem conceder permissões específicas para seus dados e garantir a privacidade ao mesmo tempo.


Propriedade


No setor imobiliário, registros de propriedades podem ser imutavelmente armazenados no blockchain, simplificando processos de transação e garantindo a autenticidade dos documentos.


🔮 Desafios e perspectivas da relação entre blockchain e criptomoedas


Desafios tecnológicos e ambientais


Apesar dos diversos benefícios, o blockchain enfrenta desafios consideráveis. De acordo com o Mercado Bitcoin, um dos principais é a escalabilidade, pois algumas redes blockchain têm dificuldade em lidar com um grande número de transações simultâneas.


Além disso, a intensidade energética de certos métodos de validação, como o algoritmo de Prova de Trabalho (PoW), levanta preocupações ambientais.


Soluções como a migração para algoritmos mais eficientes - a exemplo da já citada migração da Ethereum para o PoS - estão sendo exploradas para abordar esses desafios.


Regulamentação e o futuro das criptomoedas


Segundo a Investopedia, o papel das autoridades na regulamentação das criptomoedas é um importante ponto de debate.


A busca por equilíbrio entre inovação e segurança levou a diferentes abordagens globais. Enquanto alguns países adotam regulamentações claras para promover a aceitação, outros mantêm uma posição mais cautelosa.


O futuro das criptomoedas e do blockchain dependerá, em parte, da evolução dessas regulamentações e da capacidade de adaptação das indústrias às exigências legais.


Conclusão


A interconexão entre blockchain e criptomoedas representa uma revolução que forçou a adaptação de diversos setores e suas regulamentações. Como este é um processo em andamento, ainda não o compreendemos na totalidade.


Como vimos no artigo, a diversificação dos criptoativos via utilização do blockchain impactou as finanças tradicionais e transformou o modo como nos relacionamos com elas.


Para além dos criptoativos, estamos presenciando um aumento da adoção do blockchain em diversas indústrias, desde alimentos a propriedades imobiliárias, passando pela própria saúde.


Diante dessas considerações, a evolução do blockchain e das criptomoedas dependerá não apenas de avanços tecnológicos, mas também da nossa capacidade de enfrentar desafios e se adaptar às transformações no cenário regulatório.


Em resumo, o progresso nesse ecossistema impulsionará não apenas a inovação tecnológica, mas também remodelará a forma como concebemos e interagimos com as transações financeiras, registros digitais e, em última análise, na reestruturação da nossa organização social.


Por isso, não fique de fora dessas transformações. Evite ser atropelado por essa revolução tecnológica. Acompanhe o assunto, nem que seja para, ao menos, entender o que está acontecendo. 🧠


 

Você já investe em criptomoedas, mas tem dúvidas sobre o que precisa ser declarado?


🔎 Entre em contato para receber orientação contábil sobre possíveis tributações em transações de criptomoedas.

Vem com a gente para mais!

Conecte-se com o Declarando Bitcoin nas Redes Sociais:

Instagram

YouTube

Telegram

Twitter

Tik Tok

Linkedin

Facebook

Koo

Chama no WhatsApp 📲 + 55 (51) 99893-2200


Comments


Commenting has been turned off.

Em destaque

bottom of page